Governo de MG e Prefeitura de BH, empresas públicas e entidades indígenas e quilombolas vão apoiar o Censo

Editoria: Censo 2020 | Da redação

02/01/2020 10h41 | Atualizado em 09/01/2020 13h51

A Unidade Estadual do IBGE em Minas Gerais (UE/MG) realizou a primeira Reunião de Planejamento e Acompanhamento do Censo Demográfico 2020 (REPAC) na capital Belo Horizonte. O encontro aconteceu em dezembro e reuniu representantes dos governos municipal e estadual, de órgãos e empresas públicas e de entidades ligadas aos povos indígenas e às comunidades quilombolas do estado.

A reunião foi pautada por assuntos relacionados às atividades que antecedem o processo de coleta dos dados do Censo. Foram apresentadas a divisão territorial da capital mineira para o Censo, a conectividade com o Cadastro Nacional de Endereços para Fins Estatísticos, a Pesquisa do Entorno e a metodologia de trabalho para o Censo no estado.

A chefe da UE/MG, Maria Antônia Esteves, destacou a relevância das REPACs para promover a transparência dos trabalhos do IBGE e buscar parcerias. Essa também foi a avaliação do diretor de Pesquisas do IBGE, Eduardo Rios-Neto, para quem um Censo requer ajustes constantes para afinar instrumentos e definir melhores estratégias. Para ele, o Censo Experimental, realizado em Poços de Caldas, teve papel fundamental nesse processo.

Participaram da reunião representantes da Secretaria Estadual Desenvolvimento Social, da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Secretaria Municipal de Política Urbana, Secretaria Municipal de Educação, da Fundação João Pinheiro, da BHTrans, do BDMG, da Prodabel, da Urbel, da Conaq e da Associação dos Povos Indígenas de BH e Região Metropolitana. A segunda rodada de reuniões está prevista para começar em março de 2020.

Mais notícias deste Estado