IBGE se reúne com indígenas e divulga detalhes da operação censitária prevista para as comunidades tradicionais

Editoria: Censo 2020 | Da redação

02/01/2020 10h28 | Atualizado em 09/01/2020 13h52

Representantes da Unidade Estadual do IBGE na Bahia (UE/BA) apresentaram o projeto do Censo Demográfico 2020 durante a Assembleia Geral do Movimento Unido dos Povos e Organizações Indígenas da Bahia (Mupoiba), que aconteceu entre os dias 17 e 18 de dezembro em Salvador. Dezenas de lideranças indígenas de todas as regiões do estado participaram do encontro.

Ao longo dos anos, acompanhando as demandas de movimentos sociais e acadêmicos, o IBGE vem aprimorando a metodologia para o recenseamento das comunidades indígenas, o que propiciou maior visibilidade destas populações nas estatísticas oficiais.

Para o Censo 2020 haverá nessas comunidades, além do questionário domiciliar padrão, um questionário prévio com a liderança de cada agrupamento, com perguntas sobre infraestrutura, educação e saúde, entre outros temas.

“Tivemos a oportunidade de tirar dúvidas sobre como serão aplicados os questionários, bem como apresentar um panorama de como a população indígena foi representada nos Censos anteriores. E o mais importante: firmamos parcerias. Lançamos uma campanha para que se inscrevam nos processos seletivos para recenseador e agente censitário, cujos editais estão previstos para fevereiro”, comentou Camila Evaristo, historiadora e analista censitária do IBGE na Bahia. Ela participou do evento ao lado de Luís Alberto Pacheco, coordenador das Reuniões de Planejamento e Acompanhamento do Censo 2020 (REPACs) no estado.

Durante o encontro, os representantes indígenas puderam apresentar suas perspectivas sobre a produção de estatísticas oficiais e as políticas públicas direcionadas aos seus povos e comunidades.

“Estamos muito felizes com essa aproximação com o IBGE. É muito importante que a contabilização da população indígena seja efetiva, na Bahia e no Brasil, para termos um diagnóstico preciso de nossa realidade”, defendeu Rutian Pataxó, diretora-executiva do Mupoiba.

O Mupoiba representa 143 comunidades indígenas de 23 etnias Tupinambá, Pataxó, Pataxó Hãhãhãe, Kiriri, Tuxá, Tumbalalá, Atikum, Pakararé, Kaimbé, Pankarú, Pakararú, Xukuru-Kariri, Kariri-Xóco-Fulni-ô, Kapinawá, Potiguara, Tapuia, Kambiwá, Funi-ô, Xacriabá, Payaya, Kantaruré, Truká e Tuxi.

Mais notícias deste Estado